Jucá cobra de Suplicy reconhecimento de fraude

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PSDB-RR), cobrou há pouco do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) o reconhecimento de que o escândalo causado pelo Dossiê Cayman - sobre uma suposta conta do presidente Fernando Henrique Cardoso, do falecido ex-governador de São Paulo Mário Covas, do falecido ex-ministro das Comunicações Sérgio Motta e do ministro da Saúde, José Serra, no paraíso fiscal de Gran Cayman - não passa de uma fraude. "Se a oposição se pautou pela imprensa para cobrar do governo esclarecimentos sobre a existência do Dossiê Cayman, cabe agora o reconhecimento com pedido de desculpas, já que esta mesma imprensa divulga, hoje, a confirmação de que tudo não passou de uma armação contra o governo Fernando Henrique Cardoso" , afirmou Jucá. "Só queremos coerência", cobrou o lider governista. Suplicy, em pronunciamento da tribuna, lembrou que na época das eleições para governador de São Paulo, o presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, havia sido procurado por pessoas ligadas ao ex-governador Paulo Maluf (PPB) para que ele utilizasse o Dossiê Cayman na campanha leitoral, mas nem Lula nem o PT aceitaram a oferta. Diante do apelo do líder governista, Suplicy respondeu: "O que posso é recomendar ao seu governo que procure escolher melhor os seus aliados, já que o ex-governador paulista realizou diversos trabalhos para a base política de Fernando Henrique. Se melhor escolhesse, não passaria por esses constrangimentos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.