José Serra critica "ti-ti-ti" eleitoral

O ministro da Saúde, José Serra, pré-candidato pelo PSDB à Presidência da República, disse nesta sexta-feira que "o ti-ti-ti eleitoral não faz crescer nenhuma arvorezinha no Brasil". A afirmação foi feita em resposta aos jornalistas que questionaram o ministro sobre quais alianças ele pretende fazer para disputar as eleições. "Tem gente que gosta de fazer ti-ti-ti e eu reconheço que para a imprensa é até atraente. "Mas eu acho que não tem relevância discutir fulano ou ciclano", disse. Serra, porém, afirmou considerar ideal a realização de alianças. "Estamos abertos a fazer aliança com o PMDB e o PFL", disse ele, que participou, no final da tarde, da inauguração do Centro de Transplantes do Hospital Albert Einstein.Serra também defendeu a aprovação da CPMF. Para ele, até que se crie outro imposto é necessário que a CPMF seja aprovada. "A CPMF precisa ser aprovada porque se issonão ocorrer poderá acontecer um colapso até na área social", disse o ministro. Serra negou também negou ter afirmado hoje no Rio que "é preciso ter cuidado com o populismo de esquerda". "Eu não atribuí nada à esquerda. Eu atribui à inércia, à incompetência", afirmou ele, opinando sobre a situação da Argentina. "O caso da Argentina mostra o risco da inércia, da incompetência. O Brasil tem muita chance de se sair bemnesta década, mas também pode se sair mal", afirmou. "O importante é saber que o Brasil vive um de seus momentos decisivos e ele pode se manter no rumo ou correr orisco de descarrilar", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.