José Sarney é eleito presidente do Senado

Candidato do PMDB vence Tião Viana (PT) por 49 votos a 32 e vai assumir a Casa pela terceira vez

Andréia Sadi e Giuliana Vallone, do estadao.com.br,

02 Fevereiro 2009 | 13h49

O senador José Sarney (PMDB) foi eleito nesta segunda-feira, 2, o novo presidente do Senado Federal. Sarney venceu o candidato do PT, Tião Viana, por 49 votos a 32. "Tenho a honra de proclamar eleito presidente do Senado Federal que exercerá o mandato no biênio 2009-2010 o nobre senador José Sarney", anunciou Garibaldi Alves, que deixa a cadeira hoje.  Veja também:"Vitória de Sarney levou votos do PSDB e dá poder a Renan ", diz analistaPerfil: conheça o senador José SarneyGaleria de fotos do novo presidente do Senado Blog: acompanhe as eleições na Câmara e no Senado em tempo real "Assumo a Presidência do Senado pela terceira vez, com o senso da maior responsabilidade e o desafio que constitui essa eleição para a minha vida. Certamente, nenhum dos presentes duvidam do meu bem estar social, pessoal, estaria fora das atribuições que vou enfrentar. Mas a paixão da vida pública é maior que a paixão da própria vida. E é justamente no exercício desta paixão que aqui estou", afirmou Sarney, no seu primeiro discurso depois de ser eleito.  Antes do início da votação, Sarney prometeu que, se eleito, iria cortar 10% do Orçamento do Senado Federal por medida de economia. "Vou lutar pela reforma política, por todos os meios e resolver de uma vez por todas esse problemas das Medidas Provisórias, que é uma vergonha", disse.  Repercussão O candidato derrotado Tião Viana afirmou ter muito respeito pelos votos dados a Sarney. "Fiz um bom combate, quero desejar pleno êxito ao senador José Sarney. Estarei aqui cumprindo as minhas obrigações de senador da República. Sou muito grato", disse.  Já o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), congratulou Sarney pela sua vitória. O PSDB fechou apoio ao candidato derrotado, Tião Viana (PT-AC). "Doze votos foram de tucanos", garantiu Virgílio a Viana.  Sarney admitiu, em seguida, que ficou triste com a falta de apoio do PSDB, mas disse acreditar no apoio "fundamental" do partido daqui para frente.  O líder do DEM, José Agripino (RN), disse que as divergências entre os dois maiores partidos de oposição, PSDB e DEM, são pontuais, mas as convergências são permanentes. Nesta disputa no Senado, os partidos ficaram em lados opostos: O DEM apoiou o vencedor José Sarney, enquanto os tucanos optaram por Tião Viana. "Vossa excelência é homem de diálogo. Conduzirá essa Casa com acerto. Cumprimento vossa Excelência. O primeiro discurso me mostrou que nossos votos foram acertados", disse Agripino.

Mais conteúdo sobre:
Sucessão no SenadoJosé Sarney

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.