Denise Andrade/Estadão
Denise Andrade/Estadão

José Roberto Maluf será o novo presidente da TV Cultura

Pela primeira vez na história do canal, a seleção foi feita por uma empresa de headhunter

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2019 | 16h59
Atualizado 14 de maio de 2019 | 09h38

Ex-vice presidente da Band e do SBT, o executivo José Roberto Maluf será o novo presidente da TV Cultura. A decisão será anunciada nos próximos dias após a assembleia da Fundação Padre Anchieta, que administra a emissora estatal paulista. O nome de Maluf foi chancelado pelo governador João Doria.

Caberá, agora, aos 47 conselheiros da Fundação Padre Anchieta ratificar ou não a escolha. A indicação do executivo por Doria já foi discutida nos bastidores no fim de semana e, de acordo com conselheiros e aliados do governador, a questão já está “pacificada”.

Doria não queria um perfil político no comando da emissora. O atual presidente, Marcos Mendonça, é um quadro histórico do PSDB.

A missão de Maluf será mudar o perfil da emissora e formatar o que os auxiliares de Doria vêm chamando de “nova TV Cultura” – um canal mais aberto à publicidade, menos dependente de recursos públicos e que lute pela audiência.

A ideia contraria o conceito que marcou a história da emissora – uma estatal voltada para uma produção educativa que não tem a audiência como objetivo final e não visa o lucro. 

Como mostrou o Estado no domingo, Doria prepara um “choque de gestão” na TV Cultura para torná-la lucrativa e, para isso, quebrou uma tradição interna ao atuar diretamente na definição do perfil do novo presidente do canal.

O governador criou um grupo de trabalho para reformular a TV Cultura com a participação do cineasta Luiz Carlos Barreto, do empresário José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, e de Ricardo Scalamandré, ex-executivo da Globo.

O secretário estadual de Cultura, Sérgio Sá Leitão, ex-ministro da área durante o governo Michel Temer, foi escalado por Doria para buscar no mercado um novo dirigente. Para Mendonça, no entanto, Doria não tem poder para escolher quem vai comandar a emissora; essa atribuição, de acordo com ele, é do conselho. 

Procurado pela reportagem, o executivo José Roberto Maluf não se manifestou até a conclusão dessa edição. O presidente do Conselho da Fundação Padre Anchieta, Augusto Rodrigues, também foi procurado por meio de sua assessoria, mas não respondeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.