Denise Andrade/Estadão
Denise Andrade/Estadão

José Roberto Maluf será o novo presidente da TV Cultura

Pela primeira vez na história do canal, a seleção foi feita por uma empresa de headhunter

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2019 | 16h59
Atualizado 14 de maio de 2019 | 09h38

Ex-vice presidente da Band e do SBT, o executivo José Roberto Maluf será o novo presidente da TV Cultura. A decisão será anunciada nos próximos dias após a assembleia da Fundação Padre Anchieta, que administra a emissora estatal paulista. O nome de Maluf foi chancelado pelo governador João Doria.

Caberá, agora, aos 47 conselheiros da Fundação Padre Anchieta ratificar ou não a escolha. A indicação do executivo por Doria já foi discutida nos bastidores no fim de semana e, de acordo com conselheiros e aliados do governador, a questão já está “pacificada”.

Doria não queria um perfil político no comando da emissora. O atual presidente, Marcos Mendonça, é um quadro histórico do PSDB.

A missão de Maluf será mudar o perfil da emissora e formatar o que os auxiliares de Doria vêm chamando de “nova TV Cultura” – um canal mais aberto à publicidade, menos dependente de recursos públicos e que lute pela audiência.

A ideia contraria o conceito que marcou a história da emissora – uma estatal voltada para uma produção educativa que não tem a audiência como objetivo final e não visa o lucro. 

Como mostrou o Estado no domingo, Doria prepara um “choque de gestão” na TV Cultura para torná-la lucrativa e, para isso, quebrou uma tradição interna ao atuar diretamente na definição do perfil do novo presidente do canal.

O governador criou um grupo de trabalho para reformular a TV Cultura com a participação do cineasta Luiz Carlos Barreto, do empresário José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, e de Ricardo Scalamandré, ex-executivo da Globo.

O secretário estadual de Cultura, Sérgio Sá Leitão, ex-ministro da área durante o governo Michel Temer, foi escalado por Doria para buscar no mercado um novo dirigente. Para Mendonça, no entanto, Doria não tem poder para escolher quem vai comandar a emissora; essa atribuição, de acordo com ele, é do conselho. 

Procurado pela reportagem, o executivo José Roberto Maluf não se manifestou até a conclusão dessa edição. O presidente do Conselho da Fundação Padre Anchieta, Augusto Rodrigues, também foi procurado por meio de sua assessoria, mas não respondeu.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.