José Jorge nega demissões na Petrobras

O ministro de Minas e Energia, José Jorge, acredita que o primeiro relatório da Petrobras, que isentou os funcionários de culpa por não terem encaminhado o relatório sobre problemas na P-36, é parte de uma investigação maior e não serve como base para demitir qualquer servidor da empresa. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério, José Jorge sempre defendeu uma investigação completa sobre o caso para que qualquer decisão seja tomada.Segundo a assessoria do Ministério, a investigação deve explicar desde a decisão do gerente da plataforma, que fez os relatórios identificando problemas, até o papel da diretoria da Petrobras. O relatório divulgado pela empresa na noite de ontem tratou apenas da falha de comunicação no encaminhamento à diretoria dos boletins que apontavam problemas na plataforma. Não houve qualquer investigação mais aprofundada sobre a responsabilidade no acidente, o que poderia motivar demissões.

Agencia Estado,

24 de março de 2001 | 12h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.