José Jorge defende golden share para Furnas

O novo ministro de Minas e Energia, José Jorge, defendeu há pouco, em entrevista após ser empossado, a criação de uma golden share (ações com poder de veto em algumas questões) a ser mantida em mãos do governo federal, para ser mantida depois da privatização de Furnas. Ele disse que, sendo adotado o modelo de pulverização das ações, a empresa ficará sem um dono e a golden share permitiria que por algum tempo o governo pudesse controlar algumas decisões.O ministro disse ainda que nesta quarta-feira começará a discutir a composição de sua equipe e que tem autorização do presidente para trocar auxiliares. "Posso trocar os nomes, mas sem marola", afirmou. Ele disse ainda que se houver um agravamento na oferta de energia poderá ser necessário racionalizar o consumo, mediante negociações com empresários e adotar programas de redução de perdas de energia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.