José Ignácio deixa PSDB e se diz "réu sem crime"

Na carta em que pede desligamento do PSDB, o governador do Espírito Santo, José Ignácio, alvo de um processo de impeachment sob acusação de envolvimento em corrupção, afirma que foi transformado em "réu sem crime", vítima de "pré-julgamento criminoso" sustentado em um "laboratório de infâmias". Eis a íntegra da carta, enviada ao presidente do partido, deputado José Aníbal: Após longa reflexão a que me obriguei junto com meus companheiros, resolvi buscar a forma mais sensata de, sem causar qualquer constrangimento ao partido do qual sou um dos primeiros fundadores, esclarecer de forma cabal e indesmentível as calúnias de que sou vítima, vindas tanto de adversários históricos quanto de correligionários com dupla militância. Solicito assim, de Vossa Excelência, na condição de presidente nacional do PSDB, o meu desligamento voluntário do partido, conforme o previsto em seus Estatutos.Fui transformado em réu sem crime, nega-se o direito de ampla defesa e desconhecem o enorme esforço de um governo que saneou e iniciou o processo de reconstrução do Espírito Santo. Mas nada disso é por acaso. Tentam impor à opinião pública o pré-julgamento criminoso sustentado no laboratório das infâmias que visavam destruir o índice de 73% de aprovação popular ao meu governo, alcançado poucos dias antes do início de tão insidiosa campanha. Poupando o PSDB de qualquer tipo de ônus político, esclarecerei ponto por ponto as mentiras que me são assacadas. São mais de quatro décadas de vida pública, tendo sido cassado pelo AI-5 e preso pela ditadura militar. Não posso permitir que toda uma história pessoal e política limpa e digna possa ser maculada por quem quer que seja, sob qualquer pretexto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.