Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

José Genoino é submetido a nova perícia médica em Brasília

A Justiça quer saber se ele tem condições físicas de ser transferido para um estabelecimento penitenciário

Mariângela Gallucci , O Estado de S. Paulo

12 de abril de 2014 | 17h05

BRASÍLIA - O ex-deputado federal José Genoino foi submetido ontem a uma perícia médica no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal. Condenado por participação no esquema do mensalão, ele cumpre pena de 4 anos e 8 meses em prisão domiciliar desde o final do ano passado, quando reclamou de problemas cardíacos. A Justiça quer saber se ele tem condições físicas de ser transferido para um estabelecimento penitenciário.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Instituto de Cardiologia, durante cerca de uma hora o ex-parlamentar passou por avaliação de uma junta de cinco médicos do Hospital Universitário de Brasília (HuB). Ele chegou ao Instituto de Cardiologia por volta das 14 horas na companhia da mulher, do filho e de uma assessoria.

O procedimento, que incluiu um exame clínico e um eletrocardiograma, foi acompanhado por um dos advogados de Genoino e por um médico particular do ex-deputado. Exames laboratoriais e outros mais específicos foram feitos dias antes e encaminhados ao Supremo Tribunal Federal (STF).

"Mantemos a confiança que ainda é precipitado devolvê-lo para o regime semiaberto", afirmou o advogado Claudio Alencar. Os médicos que integram a junta não se manifestaram após o exame. O resultado deverá ser encaminhado nos próximos dias para o presidente do STF, Joaquim Barbosa, que foi o relator do processo do mensalão.

José Genoino foi preso em novembro junto com outros condenados, entre os quais o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. O ex-deputado ficou menos de uma semana no complexo penitenciário da Papuda. Ele deixou o estabelecimento após reclamar de problemas cardíacos. Depois de um período de internação, Genoino foi para a prisão domiciliar e não voltou mais para a prisão.

Mais conteúdo sobre:
MensalãoJosé Genoino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.