José Aníbal confirma que quer concorrer ao Senado

O deputado tucano é o primeiro a formalizar pré-candidatura, mas partido tem mais dois nomes para a vaga

Silvia Amorim - O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 22h24

A disputa interna no PSDB paulista para a vaga de candidato ao Senado saiu dos bastidores. O deputado José Aníbal formalizou sua pré-candidatura junto ao partido. Na sexta-feira, 16, ele entregou à direção da sigla em São Paulo uma carta em que coloca a intenção de concorrer ao posto.

 

Outros dois nomes são cotados para a vaga: o ex-secretário da Casa Civil do governo José Serra, Aloysio Nunes Ferreira, e o presidente estadual do PSDB-SP, deputado Mendes Thame. Aníbal foi o único, por enquanto, a oficializar a postulação.

 

Dos três tucanos, entretanto, Aloysio é o que tem maiores chances de sair candidato. Primeiro, pelo gesto de deixar a disputa ao governo estadual para o ex-governador Geraldo Alckmin. Segundo, por ter a aprovação de Serra. Seu suplente já teria sido definido – o ex-secretário de Gestão, Sidney Beraldo.

 

Na carta, Aníbal pede ao partido que se manifeste sobre como pretende fazer as prévias, caso sejam oficializadas outras postulações. "Eu mantenho diálogo frequente com o partido em todo o Estado", defende o deputado sua candidatura.

 

O PSDB não vê com bons olhos uma disputa interna no maior colégio eleitoral do País, temeroso de que isso possa respingar nas disputas estadual e presidencial. "Vamos tentar de forma agregadora, sem atropelar ninguém, afunilar em um candidato", diz o secretário-geral do PSDB-SP, César Gontijo.

 

O plano é anunciar o candidato ao Senado no mesmo evento em que será lançada publicamente a pré-candidatura de Alckmin ao governo no início de maio. Mas, se não houver acordo, o candidato a senador será apresentado posteriormente.

 

A pré-candidatura de Alckmin ao governo foi confirmada formalmente na segunda-feira passada em reunião da Executiva do PSDB. Agora o tucanato aguarda a festa para comemorar.

 

Humildade. Mesmo liderando as pesquisas, o ex-governador disse ontem que fará campanha como se tivesse 1% das intenções de voto. "Prefiro trabalhar como se tivesse 1%. Vou trabalhar com fé e servir as pessoas. Estou muito animado para trabalhar e servir a população de São Paulo", afirmou o tucano, em viagem pelo oeste paulista.

 

Alckmin não aceita o clima do "já ganhou". "Prefiro calçar as sandálias da humildade", disse.

 

O tucano visitou Presidente Prudente e Pirapozinho. A escala final da viagem foi Santo Expedito, onde participou, como convidado, da missa em homenagem ao santo das causas urgentes, celebrada na rua e acompanhada, segundo a Polícia Militar, por 15 mil fiéis.

 

(Colaborou Sandro Villar)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.