José Alencar passa pelo 'momento mais difícil'

A cirurgia ao qual foi submetido o vice-presidente da República, José Alencar, durou três horas e terminou por volta das 21h. Em entrevista, o cirurgião Raul Cutait, do do Hospital Sírio-Libanês, afirmou que Alencar estava num "quadro delicado de hemorragia abdominal" passava por seu "momento mais difícil". Cutait contou que, durante a cirurgia, a equipe médica tentou estancar a hemorragia, mas não obteve sucesso.

SÃO PAULO, Agência Estado

22 Dezembro 2010 | 22h02

Segundo ele, não foi possível tratar da cavidade abdominal, por conta da aderência entre as alças intestinais. "O objetivo não foi atingido, a hemorragia continuou e ela pode eventualmente parar ou não", afirmou o médico, com semblante grave. "Estamos tentando administrar. Não quer dizer que a situação esteja fora do controle, mas é o momento mais difícil que o paciente está enfrentando."

Nota distribuída à noite pelo hospital detalhou o quadro clínico. "O vice-presidente da República, José Alencar, foi submetido a uma cirurgia de urgência para tratar uma hemorragia digestiva grave atribuída a tumor sangrante no intestino delgado. Através de uma laparotomia exploradora, tentou-se chegar ao local do sangramento. Contudo, devido a intensas aderências entre as alças intestinais e a parede abdominal não foi possível abordar o tumor, conforme proposto. O paciente encontra-se em estado crítico, porém estável, e foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI)."

Alencar, que tem 79 anos, luta contra um câncer na região do abdome há mais de 13 anos. Hoje, passou pela 17.ª cirurgia. Seu quadro de saúde tem se agravado nos últimos meses. Ele ficou internado por 24 dias, entre outubro e novembro.

Mais conteúdo sobre:
saúde cirurgia emergência José Alencar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.