Jornalistas processam Mônica Veloso

A jornalista Mônica Veloso, pivô do escândalo que envolveu o presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em uma rede de denúncias que ameaçam o seu mandato, poderá agora ter parte do dinheiro obtido com a nudez, exibida nas páginas da revista Playboy, confiscado pelo Sindicato de Jornalistas do Distrito Federal. Ela, que estaria cobrando da Editora Abril o pagamento de uma segunda edição supostamente não autorizada, seria obrigada pela Justiça trabalhista a repassar prioritariamente esse dinheiro para dois jornalistas e um radialista que movem ações contra a sua produtora. "Estamos estudando essa alternativa, mas primeiro vamos esperar que a decisão transite em julgado", confirmou o advogado Claudismar Zupiroli, do sindicato de jornalistas. De 2003 a 2006, os três profissionais trabalharam para a produtora de Mônica, que mantinha com o governo do Distrito Federal um contrato para fazer a agenda e toda a documentação jornalística do ex-governador Joaquim Roriz. Eles alegam que não tiveram as carteiras assinadas e que alguns de seus direitos trabalhistas também não foram pagos. Na primeira instância, um deles já saiu vitorioso. A produtora de Mônica foi condenada a pagar cerca de R$ 30 mil a um dos jornalistas. Ela ainda tem direito a recurso. Mas se sua empresa perder, a história meio rocambolesca pode custar a Mônica, ao fim e ao cabo, uma quantia superior a R$ 100 mil, segundo estimativa de Claudismar Zupiroli. DEFESAMônica e Abril não chegaram a se engalfinhar em uma briga judicial pela cobrança da segunda edição da nudez. De acordo com a assessoria da jornalista, os entendimentos estão sendo feitos de forma amigável pelo advogado Pedro Calmon."O sindicato pode confiscar à vontade. Não existe pagamento da segunda edição. E essa ação trabalhista deve demorar uns dez anos", afirmou Calmon. "É um processo somente para prejudicar Mônica. Eles entraram com a ação unicamente para se aproveitar da notoriedade dela. As reclamações trabalhistas envolvem, ainda, o governo do Distrito Federal e a produtora CPC, de uma ex-sócia da jornalista", emendou.Mônica Veloso ganhou notoriedade em maio, quando veio à tona a denúncia de que Renan teria despesas pessoais pagas por um lobista da empreiteira Mendes Júnior. De acordo com a revista Veja, Cláudio Gontijo pagava pensão e aluguel para a jornalista, com quem o senador teve uma filha fora do casamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.