Jornalista suspeita de contrair pneumonia passa bem

O inglês Gerhard Lane é editor-chefe da equipe que cobre a Fórmula 1 da TV inglesa ITV, para quem trabalha a produtora Sally Blower, de 41 anos, internada no hospital Albert Einstein desde terça-feira com suspeita de ter contraído a pneumonia atípica. "Tenho conversado regularmente com ela, por telefone, e posso dizer que está se sentindo melhor física e emocionalmente", disse nesta quarta-feira Lane, no fim da tarde, enquanto editava seu material no Centro de Edição do autódromo de Interlagos.O doutor Dino Altman, diretor-médico do GP Brasil de Fórmula 1, disse estar acompanhando o caso com "extrema atenção". Blower desembarcou terça-feira de manhã em Cumbica, procedente de Londres, no vôo da British Airways, em que 16 outros profissionais com atividades na Fórmula 1 também viajaram, incluindo-se aí pilotos, como Ralph Firman, da Jordan, e Justin Wilson, da Minardi.Lane deu mais detalhes de como tudo começou: "Desembarcamos em São Paulo e algumas horas depois Sally começou a desenvolver febre alta", disse. "Procuramos orientação médica e, em razão de termos passado pela Ásia há duas semanas, para a cobertura do GP da Malásia, Sally ficou sob suspeita de estar com a pneumonia, apenas suspeita."Na própria terça-feira, Lane ficou sabendo tratar-se de um quadro pneumônico, mas que o agente etiológico da doença não era conhecido ainda. Se sua origem é bacteriana, o que caracterizaria uma pneumonia normal, ou viral, aí sim aproximando o diagnóstico da temida pneumonia que está matando gente. "Não podemos dizer nada até amanhã (quinta-feira)", disse."Mais um dia e teremos o resultado de todos os exames que Sally fez. E isso a está deixando ansiosa, pelo que senti nas nossas conversas freqüentes pelo celular."O jornalista comentou ainda que sua produtora não escondeu estar chateada com o isolamento a que está submetida, embora reconheça sua importância. "Ela gostaria mesmo que essa história terminasse logo para poder deixar o hospital." Sobre o tratamento que lhe está sendo dedicado, falou: "Sally contou que tem recebido toda a atenção dos médicos". Caso se confirme que a pneumonia da profissional inglesa seja mesmo bacteriana, sua alta não deverá demorar.Dino Altman explicou que a orientação da Secretaria Estadual de Saúde é, uma vez confirmado o diagnóstico de pneumonia atípica, encaminhar os pacientes para internação no Hospital São Paulo, onde o isolamento atinge até o ar que circula pelo quarto. "Nosso trabalho agora é monitorar as outras 16 pessoas que estiveram em contato com a jornalista. Se eles desenvolverem sintomatologia de pneumonia, as suspeitas serão então bem mais fortes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.