Jornalista Paulo Nogueira morre aos 61 anos

Segundo irmão, jornalista estava com câncer e enfrentou uma batalha de dez meses

O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 09h58

O jornalista Paulo Nogueira, de 61 anos, morreu na noite desta quinta-feira, 29, vítima de câncer. As informações são do site Diário do Centro do Mundo, criado por Nogueira. "Depois de uma batalha de dez meses, finalmente descansou", escreveu seu irmão, Kiko Nogueira, na página.

Nogueira foi repórter e editor na revista Veja, diretor de redação da Exame e diretor editorial na Editora Globo. Mais recentemente, trabalhava no Diário do Centro do Mundo, onde era fundador e diretor editorial.

"Ele fez de tudo no jornalismo. Foi repórter, editor, diretor de redação, superintendente", escreveu o irmão. "Deixou sua marca em cada uma delas (das publicações). A vibração, a provocação, o apuro, a busca da excelência. Antecipou tendências, fez acontecer."

Kiko Nogueira disse, ainda, que o irmão "nasceu e morreu no mesmo quarto na casa dos nossos pais, no Jardim Previdência", bairro da zona oeste de São Paulo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva publicou uma nota de pesar sobre a morte do jornalista. "O Brasil perdeu na noite desta quinta-feira (29) um de seus grandes entusiastas", escreveu. "Demonstrou como a comunicação pode ser democrática e importante ferramenta de resistência em tempos difíceis como o que vivemos."

O velório de Nogueira será nesta sexta-feira, 30, no Cemitério Gethsêmani do Morumbi, das 10h às 15h.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.