Jornalista Marcelo Fagá morre em São Paulo

O jornalista Marcelo Jorge Werneck Fagá morreu na madrugada desta segunda-feira, aos 49 anos, em sua casa, na zona sul da capital, vítima de insuficiência respiratória. Casado com a professora Maria Cristina Beviláqua, deixou dois filhos, Miguel, de 14 anos, e Beatriz, de 11.Inteligente e culto, de excelente texto e disposição como repórter investigativo, Fagá sempre conquistou os companheiros com seu senso de humor. Vascaíno fanático, nasceu no Rio e estudou no Colégio Santo Inácio.Com 29 anos de profissão, começou a carreira no Rio, onde se formou em jornalismo. Em São Paulo trabalhou no Estado, de 1990 a 1995, e também nas revistas Veja e IstoÉ.Foi chefe de reportagem e das sucursais da Folha de S. Paulo no Rio e em Belo Horizonte. Foi também editor de esportes da Folha em São Paulo.Trabalhou como assessor pessoal de comunicações do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta. Era o responsável pela elaboração dos textos dos discursos do prefeito.Na eleição para deputado federal, no ano passado, assessorou o presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, Walter Feldman, um dos mais votados do Estado.Fagá também escreveu artigos para jornais e revistas de empresas, foi diretor do Sindicato dos Jornalistas no Rio e nas últimas semanas estava trabalhando num projeto para a Companhia de Notícias de São Paulo.O corpo está sendo velado no Cemitério do Araçá. Por decisão da família, será cremado às 9 horas desta terça no Crematório de Vila Alpina, na zona sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.