Jornalista é preso por crime de opinião em Miracema

Condenado por ?crime de opinião? em 2001 com base na Lei de Imprensa, criada em 1967, durante o regime militar, o jornalista Alvanir Ferreira Avelino, de 51 anos, foi preso hoje, em Campos, no norte fluminense, de acordo com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).Ele havia sido denunciado em 1999 pelo juiz Alexandre Mesquita, da comarca de Miracema, também no norte do Estado, depois de publicar uma série de artigos envolvendo o magistrado no jornal Dois Estados, que edita em Miracema. O advogado e amigo de Avelino, Paulo Rangel de Carvalho, conselheiro da OAB do Rio e ex-presidente da OAB de Campos, afirmou que o caso estaria prescrito. A mulher do jornalista, Viviane Avelino, afirmou que ele foi preso à 7h por oficiais de Justiça e policiais militares e levado para o Presídio Carlos Tinoco.?Acho que ele é o único jornalista preso com base nesse entulho da ditadura?, disse Carvalho. A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio confirmou que o jornalista foi condenado em 2001 pela 2.ª Câmara Criminal com base na Lei de Imprensa a 10 meses de prisão em regime semi-aberto. No entanto, de acordo com o TJ, a pena teria sido convertida em multas e prestação de serviço.O presidente da comissão de Direitos Humanos e Liberdade de Imprensa da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), JoséGomes Talarico, disse no fim da tarde que ainda aguardava informações detalhadas do caso. ?Se for comprovado que houve ato injusto, a entidade com certeza vai atuar em favor do jornalista e protestar contra a decisão?, declarou. O juiz Alexandre Mesquita não havia sido localizado até as 19h30 de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.