Jornalista é presa, acusada de racismo

A jornalista Roberta Simony Carneiro, 34 anos, foi presa em flagrante na noite de ontem, acusada de racismo. Ela corria na pista do Sítio da Trindade ? área de lazer da prefeitura no bairro de Casa Amarela, zona norte do Recife ? e teria esbarrado numa mulher, dando início a uma discussão. O fiscal da prefeitura Reginaldo Correia de Araújo interveio e disse ter sido agredido verbalmente com xingamentos de ?nego safado? e ?escravo?. Roberta tem outra versão. Segundo ela, depois de discutir com o fiscal ele a empurrou, fazendo-a cair no chão. Ela desmaiou e ao voltar a si, depois de alguns minutos, foi levada à delegacia de Casa Amarela.A jornalista mostrou arranhões e hematomas nos braços e pernas e disse que ao ser agredida pelo fiscal disse que ?o tempo da escravidão já tinha acabado?. Duas testemunhas confirmaram a versão de Reginaldo Correia de Araújo. Roberta pôs as duas testemunhas sob suspeita, ao afirmar que elas são freqüentadoras do parque e conhecidas antigas do fiscal, costumando levar lanche e comida para ele e o seu chefe. As testemunhas confirmam que a jornalista desmaiou, mas creditam as marcas no seu corpo à queda provocada pelo desmaio. Roberta passou a noite na delegacia e foi encaminhada, hoje pela manhã, ao presídio feminino Colônia do Bom Pastor. O delegado Diógenes Cavalcanti, que fez o flagrante, disse ter tomado a medida porque o depoimento do fiscal foi reforçado por duas testemunhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.