Jornalista é morto a tiros em Campo Grande

Vítima fazia reportagens com denúncias sobre políticos e policiais; é o terceiro caso no Estado

João Naves de Oliveira, especial para O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 12h47

Campo Grande - O proprietário do jornal eletrônico UHNews, Eduardo Carvalho, de 52 anos, foi morto no final da noite dessa quarta-feira, 21, com cinco tiros, em Campo Grande (MS). O jornalista e a mulher chegavam em casa, quando foram surpreendidos por dois homens, ainda não identificados, em uma motocicleta. O carona da moto fez o disparos e a dupla fugiu.

 

"Eu cheguei a tentar disparar contra eles, mas a arma do meu marido estava travada", relatou a esposa, que pediu para não ter o nome revelado. Carvalhinho, como era conhecido, morreu na hora. De acordo com a mulher do jornalista, minutos depois do assassinato os atiradores voltaram ao local para pegar o carregador da arma que havia caído.

 

Segundo o delegado que atendeu o caso, Divino Furtado de Mendonça, as características do crime indicam que se trata de uma execução. "A vítima mantinha uma linha editorial do jornal com revelações e denúncias na área política e policial. São pontos de partidas para as investigações policiais", afirmou.

 

É o terceiro jornalista executado este ano. Foram assinados a tiros o jornalista Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, no dia 12 de fevereiro, e Luiz Henrique Georges, diretor de redação e proprietário do Jornal da Praça, no dia 4 de outubro. Ambos foram assassinados na Avenida Brasil, que separa Ponta Porã (MS) de Pedro Juan Caballero (Paraguai). Os autores também não foram identificados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.