Jornalista alega censura e pede demissão ao vivo em GO

Alegando estar sob censura, o jornalista e apresentador de TV, Paulo Beringhs, interrompeu uma entrevista que fazia ao vivo, ontem à noite pela TV Brasil Central, e pediu demissão no ar. Segundo ele, a decisão foi tomada por causa de pressão política nos bastidores. A estação de TV pertence ao governo de Goiás, comandado por Alcides Rodrigues (PP) e coligado na disputa sucessória com o PMDB e o PT.

RUBENS SANTOS, Agência Estado

21 de outubro de 2010 | 17h27

Nos bastidores, afirmou o jornalista, havia uma ordem para não entrevistar o candidato tucano Marconi Perillo. Ele discordou e denunciou ao vivo a determinação. "Nós estamos sob intervenção, o nosso jornalismo passa a não ter liberdade como a gente teve até agora, o que é uma coisa que eu lamento muito", disse Beringhs, com 46 anos de profissão.

O entrevistado da noite era o senador Demóstenes Torres (DEM), que disse ter ficado perplexo não com o pedido de demissão, mas com o que considerou "uma mordaça". O anúncio de Paulo Beringhs está no site YouTube e na rede de microblogs Twitter. "Eu lamento demais esta postura do senhor Jorcelino Braga (ex-secretário da Fazenda) e do grupo de Iris Rezende, que tem tradição em censurar a imprensa", disse no vídeo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.