Jornalista acusa Rui Falcão de ter copiado dados fiscais sigilosos de tucanos

Deputado e coordenador de campanha de Dilma rebate acusação

José Orenstein, do estadão.com.br

21 de outubro de 2010 | 19h26

SÃO PAULO -  Em depoimento concedido à Polícia Federal, que investiga a violação de sigilo de nomes ligados ao PSDB, o jornalista Amaury Ribeiro Jr disse que Rui Falcão, recém-reeleito deputado estadual pelo PT-SP e coordenador de comunicação da campanha de Dilma, copiou os dados fiscais de tucanos. A revelação do depoimento de Ribeiro Jr foi feita nesta quinta-feira, 21, pelo site da revista Veja.

 

Rui Falcão desmentiu o jornalista. "É um absurdo essa história. Rui Falcão jamais esteve lá", afirmou ao estadão.com.br  a assessoria do deputado em referência ao flat Meliá em Brasília, onde teria se reunido em abril a "central de inteligência" da pré-campanha de Dilma Rousseff. A "central" seria responsável por produzir dossiês contra Serra para serem usados na campanha. O episódio já havia sido revelado pela revista Veja ainda no primeiro semestre deste ano e levou ao afastamento de Luiz Lanzetta, que comandava estratégia de mídia da petista.

 

A assessoria de Falcão diz que ele nunca morou naquele flat e que a acusação de Ribeiro é inverídica. Em nota à imprensa, o deputado nega também ter conhecimento de que seu nome conste na recepção do flat, como afirmou Ribeiro no depoimento à PF.

 

Leia a íntegra da nota:

 

"A propósito de declarações atribuídas ao jornalista Amaury Ribeiro Jr., em depoimento à Polícia Federal ao qual não tive acesso, tenho a esclarecer o seguinte:

1. Não procedem as afirmações de que tenha residido em apart-hotel do Meliá Brasília, nem tampouco que tivesse chave de qualquer apartamento naquele local;

2. Se, porventura, chegou a constar meu nome na recepção do hotel, não é de meu conhecimento, nem de minha responsabilidade;

3. Nego terminantemente – e cabe a quem acusa fazer prova – que tenha copiado dados ou arquivos do mencionado lap-top do jornalista;

4. Tive conhecimento há meses, através da imprensa,da existência de um suposto dossiê, e, quando procurado, sempre informei que a campanha não produzia dossiês, nem autorizava qualquer pessoa a fazê-lo em nome da campanha.

Deputado Rui Falcão

São Paulo, 21 de outubro de 2010."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.