Leo Motta/JC Imagem
Leo Motta/JC Imagem

Jornal do Commercio, do Recife, completa 100 anos nesta quarta

Publicação centenária organiza coquetel com presença de ex-presidente do STF; meta para o futuro é expandir integração e reafirmar relevância de conteúdo de qualidade

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 15h30
Atualizado 03 de abril de 2019 | 10h56

O Jornal do Commercio, publicação impressa de maior circulação no Recife e na região Nordeste, completa nesta quarta-feira, 3, 100 anos de existência. A data foi celebrada na noite desta terça-feira, 2, em evento na capital pernambucana no qual o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto fez uma palestra sobre democracia e liberdade de expressão.

Ainda como parte da comemoração, a publicação vai promover nesta quarta-feira, 3, debate intitulado Marcas Além do Papel, com representantes de jornais regionais como Zero Hora (RS), O Povo (CE), Gazeta do Povo (PR) e Correio da Bahia (BA). O objetivo é debater a relevância das marcas que nasceram como diários impressos e, atualmente, também produzem conteúdo para diferentes plataformas.

“Em um momento como esse, de difusão de fake news, é importante reforçar a tradição e a relevância das marcas que vieram de um jornal impresso, acreditam no jornal impresso e agora vão muito além. Vamos mostrar o que cada um está fazendo no presente e como estão pensando o futuro”, afirma Laurindo Ferreira, diretor de redação do Jornal do Commercio.

“Nesse tempo em que todo mundo constrói uma verdade, as marcas têm obrigação de fazer checagem, de produzir conteúdo de qualidade, confrontar ideias, adicionar pontos de vista e enriquecer os debates. Queremos mostrar que informação de qualidade e de credibilidade tem marca”, afirmou.

Para Ferreira, o desafio do Jornal do Commercio é a integração entre as mídias do grupo. Fazem parte do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, além do diário impresso, o portal NE10, a Rádio Jornal e a TV Jornal. No total, são 682 profissionais, dos quais 162 jornalistas. 

“Nosso desafio é entregar conteúdo de qualidade na plataforma que o consumidor desejar. Se é no rádio, temos de estar lá. Se é no jornal impresso, é lá. Por isso, chegamos a 100 anos e estamos certos de que vamos continuar.”

Na avaliação do presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Marcelo Rech, a história e a credibilidade das publicações serão um passaporte para o futuro. “Um bem cada vez mais precioso na sociedade é a confiança. E a confiança não se estabelece da noite para o dia”, diz Rech. “Ela é conquistada dia a dia, ano a ano, década a década e, agora, há um século. Esse passado assegura um passaporte na crença de que os melhores valores jornalísticos vão estar sempre embalando os conteúdos do Jornal do Commercio em todos os seus formatos de distribuição.”

Tudo o que sabemos sobre:
Jornal do Commercioimprensa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.