Jorge Ben Jor anima festa do PT, mas fica longe de Dilma

Cantor não quer sua imagem associada à candidatura presidencial da ministra-chefe da Casa Civil

WILSON TOSTA, CLARISSA OLIVEIRA E VERA ROSA, Agencia Estado

19 de fevereiro de 2010 | 19h27

Contratado pelo PT para animar seu 4º Congresso, o cantor Jorge Ben Jor deixou claro que não quer sua imagem associada à candidatura presidencial da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Como condição para se apresentar na festa de encerramento do evento, sábado, 20, à noite, Ben Jor colocou como condição que Dilma, assim como qualquer outro candidato nas eleições deste ano, deverá permanecer bem longe do show.

 

Também foi negociado que o cantor só poderá ser mencionado como atração da festa de aniversário de 30 anos do PT, não do congresso e muito menos do lançamento da pré-candidatura da ministra.

 

Ben Jor ainda cobrou mais caro que o de costume. Foram R$ 100 mil, fora da faixa de R$ 60 mil a R$ 70 mil que costumam pagar um de seus shows. Além de pagar pelo caráter político do evento, a sobra teria servido para amenizar o fato de o cantor ter trocado o desfile das campeãs do carnaval carioca pela festa petista.

Mais conteúdo sobre:
congressoPTfestaJorge Benjor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.