Jogo reúne Dirceu e procurador

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e o ex-deputado e ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, um dos denunciados pelo escândalo do mensalão, ficaram a poucas cadeiras um do outro no camarote do estádio Bezerrão durante o jogo da seleção brasileira, anteontem à noite."Fiz um trabalho profissional. Pessoalmente não tenho nada contra ele", afirmou Souza, cuja peça acusatória qualificou Dirceu como "chefe da quadrilha" do mensalão.Quando o ex-ministro entrou no camarote, o procurador-geral já havia chegado. Dirceu não o cumprimentou. "A gente acabou não passando um perto do outro", disse Souza. "Se nos encontrarmos, cumprimento-o normalmente", acrescentou o procurador, durante o intervalo da partida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.