Jogo do Brasil amanhã suspende atividades do Senado

A estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo contra a Coreia do Norte esvaziou o Senado e alterou a rotina da Casa, que encerrará as atividades amanhã às 14h. Com isso, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que tradicionalmente se reúne nas manhãs de terça-feira, adiou a reunião para quarta-feira, às 14h.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

14 de junho de 2010 | 18h14

Se houver quórum, a CAE vai analisar dois pedidos de autorização de empréstimos junto aos bancos internacionais. O Estado de Minas Gerais pleiteia crédito de US$ 461 milhões junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), e o Espírito Santo pretende contrair empréstimo de US$ 21,9 milhões junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O pedido de crédito para Minas Gerais tem parecer favorável do líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM). A bancada tucana tem interesse em aprovar a matéria, a pedido do ex-governador Aécio Neves (PSDB). O projeto tem de ser votado na CAE e no plenário até o fim do mês, antes do início das campanhas eleitorais (6 de julho). Do contrário, o repasse dos recursos terá de ficar para depois de outubro.

Também a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado cancelou audiência pública que estava programada para amanhã, às 9h30. Os senadores iriam debater os problemas do setor cacaueiro, bem como a evolução das ações e resultados do "PAC do Cacau".

O jogo influenciou até mesmo o calendário de votação do marco regulatório do pré-sal. A análise do projeto de lei de criação da Pré-Sal Petróleo S/A (Petro-Sal), estatal que vai gerir os contratos de exploração das novas reservas, que estava programada para quarta-feira (16), foi adiada para a próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.