Jobim quer saber por que estudo da Anac não foi adotado

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou que pode abrir um inquérito administrativo na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), para apurar por que um estudo interno da agência, que proibia o pouso de aviões com um reverso inoperante em pistas molhadas, não foi adotado como norma, apesar de ter sido publicado na internet no site da agência. Se a informação suplementar IS-RBH 121-189 tivesse validade legal, o acidente com o vôo 3054 da TAM poderia ter sido evitado.De acordo com ele, esse episódio mostra a necessidade de reformulação da agência e da aviação civil. "Não se pode adiantar juízos antes de examinar as coisas em concreto. Que fique certo que se for apurada alguma situação que caminhe para um problema administrativo, evidentemente será aberto um inquérito administrativo", afirmou Jobim, que participou, esta manhã, da formatura de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, no Sul Fluminense.Jobim disse que a substituição da diretoria da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) vai prosseguir, ressaltando que ainda pretende trocar dois diretores da gestão anterior. Apesar da reformulação, ele evitou comentar se estaria fazendo uma limpeza na estatal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.