Jobim quer fortalecer indústria bélica

Porto Príncipe - Com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, instala hoje, às 10 horas, grupo de trabalho para estudar e traçar política estratégica de defesa nacional, a ser apresentada até dezembro. Faz parte dessa política fortalecer a indústria de material de defesa.Para o ministro, o País não pode ser dependente de equipamentos e insumos bélicos estrangeiros. O trabalho será presidido por Jobim e coordenado pelo ministro da Secretaria de Ações de Longo Prazo, Mangabeira Unger. Contará, ainda, com a participação dos três comandantes das Forças Armadas. O grupo será instituído por decreto assinado por Lula."Para ter capacidade dissuasória, o Brasil precisa ter capacidade de mobilização e, para isso, precisa ter insumos de defesa próprios", disse ontem Jobim antes de embarcar de volta do Haiti, onde esteve por três dias.O comandante do Exército, Enzo Peri, e o da Aeronáutica, Juniti Saito, que viajaram com Jobim, apoiaram linhas gerais da nova política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.