Jobim quer definição de aumento para militares ainda este ano

Acertado com Forças Armadas, projeto em análise prevê reajustes parcelados que variam entre 27,62% e 34,99%

15 de novembro de 2007 | 17h04

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, quer que a discussão sobre o reajuste salarial das Forças Armadas seja definida ainda este ano, segundo informações da CBN. A declaração foi feita nesta quinta-feira, 15, em evento no Rio.   O projeto em análise prevê reajustes parcelados que variam entre 27,62% (para os maiores vencimentos) e 34,99% (para os menores). De acordo com as previsões, esses porcentuais devem representar um impacto de R$ 1,68 bilhões no Orçamento deste ano.   A proposta acertada com as Forças Armadas só será enviada ao Congresso após uma discussão entre o presidente da República e os ministros da Defesa e do Planejamento.   Como os reajustes serão escalonados até setembro do próximo ano, o impacto nas contas públicas nos próximos exercícios seria de R$ 5,89 bilhões (2008) e de R$ 8,32 bilhões (2009).   Os vencimentos líquidos nas Forças Armadas variam de R$ 207 para os marinheiros-recrutas e R$ 8 mil para os generais do Exército. Jobim disse que a folha de pagamento anual das Forças Armadas chega a R$ 31 bilhões por ano. São cerca de 342 mil militares na ativa, 136 mil inativos e 133 mil pensionistas.   (Com Agência Câmara)      

Tudo o que sabemos sobre:
Jobimreajuste militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.