Jobim desiste de concorrer à presidência do PMDB

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim desistiu nesta terça-feira, 6, de disputar a presidência do PMDB. "Os acontecimentos das últimas horas enunciam opção objetiva do governo quanto à disputa no PMDB", disse Jobim em nota oficial. "Diante disso, resta-me afastar-me em definitivo da contenda."O comunicado de Jobim faz referência à provável decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de entregar o Ministério da Integração Nacional ao peemedebista Geddel Vieira Lima (BA). Na segunda-feira, 5, Lula recebeu Geddel e o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), responsável pela indicação do deputado ao cargo.Jobim disputava a presidência do partido com o atual presidente da legenda, Michel Temer (SP). Enquanto o grupo de Temer defendia que Lula realizasse a reforma ministerial antes da convenção nacional do partido, no próximo dia 11, os aliados de Jobim defendiam que nova equipe fosse concluída somente após o encontro.Ao avançar na negociação com Geddel, portanto, Lula contrariou profundamente Jobim. No PMDB, comenta-se que Jobim ficou irritado com a decisão do presidente sobre a formação do novo Ministério. Nesta terça-feira, às 15 horas, Lula deve receber Temer em Brasília.A indicação de Geddel para o primeiro escalão do governo era uma reivindicação da bancada peemedebista que, em sua maioria, trabalha para reeleger Temer. Jobim vinha sendo aconselhado por governadores e aliados a renunciar à disputa pela presidência do partido, ante o favoritismo de Temer na disputa.Este texto foi atualizado às 12h35 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.