Jobim: decisão sobre caças ficará para depois da eleição

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, avisou hoje que a decisão sobre a compra dos caças do processo FX-2 ficará para depois das eleições. "O presidente pretende aguardar a decisão da eleição para examinar o assunto", afirmou o ministro, em entrevista na abertura da 2ª Oficina de Trabalho Diagnóstico da Base Industrial da Defesa, em Brasília. "É um assunto que o presidente da República resolveu examinar depois do segundo turno, depois de definida a eleição, porque o projeto vai ser executado pelo próximo governo."

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

14 de outubro de 2010 | 17h33

Questionado se acredita que, se o vencedor das eleições não for a candidata do governo, Dilma Rousseff (PT), o processo FX-2 poderia ser todo alterado ou revogado, o ministro primeiro negou, mas depois desconversou: "Cada coisa a seu tempo, cada dia com a sua agonia."

Jobim é amigo pessoal de José Serra, candidato do PSDB à Presidência, foi o responsável pela condução de todo o processo FX-2 nesta segunda fase e preparou um relatório a ser entregue ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva apontando o modelo francês, Rafale, como o que mais se enquadra na Estratégia Nacional de Defesa.

O próprio Lula, em setembro do ano passado, durante a visita do presidente da França, Nicolas Sarkozy, anunciou a escolha pelo modelo francês. Participam ainda da concorrência o caça norte-americano F-18 e o sueco Gripen.

Compra

Na palestra dada no evento, Jobim defendeu ainda a aprovação pelo Congresso do projeto de lei que muda a forma de aquisições de materiais de defesa, inclusive fardamentos, que hoje são em sua maioria importados, assim como o tratamento tributário dado a estes produtos de defesa.

Segundo o ministro, este tipo de produto precisa de "tratamento diferenciado" porque "são compras especiais e que, por isso, devem estimular o mercado interno e a produção nacional". Jobim disse ainda que "defendemos o fortalecimento das indústrias específicas e a criação de centros tecnológicos, assim como a expansão desta indústria".

Tudo o que sabemos sobre:
defesacaçasNelson Jobimeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.