Jobim: confiabilidade de Denise Abreu é 'abaixo de zero'

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, desqualificou os ataques da ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu. Ele disse que Denise aprovou a composição acionária da VarigLog, abrindo caminho para que a empresa adquirisse a Varig. "Não acredito em absolutamente nada do que fala esta senhora. O nível de confiabilidade desta senhora é abaixo de zero", atacou o ministro, lembrando e condenando o comportamento dela, uma ex-dirigente de uma agência reguladora, quando houve os dois últimos grandes acidentes aéreos. Segundo Jobim, "quem tem precedente não pode se transformar, de uma hora para a outra, em uma pessoa confiável".Jobim lembrou ainda que, desde quando assumiu o Ministério, tentou afastar Denise Abreu da Anac, o que acabou acontecendo por iniciativa própria dela. Ele negou que a Anac sofresse pressões do Planalto. "As agências são independentes e autônomas, mas isso não significa que ela não integre o sistema de aviação", declarou Jobim. Para o ministro, os três eixos do setor - Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero, que cuida dos aeroportos), Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea, que cuida do controle do tráfego aéreo) e Anac - precisam trabalhar em conjunto e manter um diálogo. "A autonomia das agências não significa que elas possam desprezar o diálogo que tem de existir entre os três pilares, porque era isso que estava acontecendo antes, quando cada um desses órgãos tinha agenda própria. Isso não é possível", desabafou ele, insistindo que hoje o sistema está "integrado" e "funcionando razoavelmente, embora ainda tenha uma série de problemas para serem resolvidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.