Jobim afirma que programa nuclear brasileiro terá fins pacíficos

Ministro da Defesa enfatizou que o País não tem objetivo de usar essa tecnologia para desenvolvimento de armas

Alberto Komatsu, da Agência Estado,

28 de setembro de 2009 | 11h31

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou na manhã desta segunda-feira, 28, que o Brasil deve desenvolver um programa nuclear para fins pacíficos e enfatizou que o País não tem objetivo de usar essa tecnologia para o desenvolvimento de armas.

 

De acordo com o ministro, são três os principais motivos que devem impulsionar o Brasil a desenvolver a tecnologia nuclear: defesa, com o desenvolvimento de um submarino de propulsão nuclear para fins dissuasórios; produção de energia elétrica e fins fármacos.

 

"As observações que o vice-presidente da República (José Alencar) fez são observações que entram dentro da sua posição especialíssima de ter a manifestação de ideias próprias. Basta a ver as manifestações em relação a juros. É legítimo que faça manifestações e absolutamente legítimo que as afirme", afirmou Jobim, referindo-se às recentes declarações do vice-presidente, que defendeu o uso da tecnologia nuclear para o desenvolvimento de armamento para defender as descobertas da Petrobrás na camada pré-sal.

 

Veja também:

linkJobim diz que acidente com caças não interfere em escolha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.