João Paulo renunciou à candidatura depois de ouvir família e líderes do PT , diz partido

PT afirma que escolha de Lapas para substituir deputado condenado no mensalão foi unânime entre as 20 legendas da coligação

Felipe Frazão - O Estado de S. Paulo,

31 de agosto de 2012 | 14h32

Condenado no julgamento do mensalão, o deputado federal João Paulo Cunha (PT) desistiu de disputar a prefeitura de Osasco depois de ouvir conselhos da família e dos líderes do partido, afirmaram em nota divulgada nesta sexta-feira, dia 31, o prefeito da cidade e coordenador da campanha, Emídio de Souza (PT), e o presidente do diretório municipal, vereador João Gois.

O voto de ontem do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Carlos Ayres Britto, que consolidou a decisão de condenar o parlamentar por 9 a 2, foi decisivo para a decisão de João Paulo. Britto votou integralmente com o ministro relator, Joaquim Barbosa, que pedira a condenação por corrupção passiva, peculato duas vezes e lavagem de dinheiro. O deputado já vinha amadurecendo a ideia de abandonar as eleições municipais ao longo dos últimos dias, de acordo com a nota .

Segundo comunicado oficial, a decisão de renunciar ao posto de candidato a prefeito de Osasco com apoio de 19 partidos além do PT foi tomada por João Paulo "depois de longa reflexão pessoal". A nota distribuída pela assessoria do parlamentar afirma que ele pretende "continuar contribuindo com o desenvolvimento de Osasco". Não há qualquer menção sobre renúncia ao mandato de deputado, que se encerra em 2014.

Emídio e João Gois, que assinam a carta, dizem que a escolha do até então candidato a vice-prefeito, Jorge Lapas (PT), para assumir o posto de João Paulo, e do vereador Valmir Prascidelli, que tentava a reeleição e agora ficou com a vaga de vice, foi unânime. E contou com aval do deputado.

Troca. O PT corre para colocar nas ruas material de campanha de Lapas e Prascidelli. Em Osasco, o comitê central da coligação Osasco unida com força do povo continua decorado com o nome e imagens ampliadas de João Paulo. Ainda há placas e galhardetes dele espalhados pela cidade. No entanto, no escritório ao lado da sede do diretório petista, as peças foram retiradas. Faixas de trânsito e bandeiras não estão mais nas ruas. Os carros de som com jingle de João Paulo também não circulam mais. E na internet, militantes e candidatos a vereador divulgam imagens de Lapas e Prascidelli ao lado da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Emídio. O site www.joaopauloprefeito13.com.br está fora do ar nesta manhã.

Adversário do PT na disputa, o vereador Osvaldo Vergínio (PSD) - que é da base do governo de Emídio na Câmara Municipal - assumiu posições de campanha e posicionou cabos eleitorais com faixas perto do Viaduto Metálico , na entrada da cidade. Antes somente João Paulo mantinha propaganda ali.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.