João Paulo reclama das críticas da imprensa e da sociedade

O presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), voltou a se queixar hoje da falta de reconhecimento da sociedade brasileira, e em especial da imprensa do País, para com o trabalho realizado pelos parlamentares.O deputado participou hoje da abertura do encontro internacional "Democracia, Governabilidade e Partidos Políticos na América Latina", no Parlamento Latino-Americano (Parlatino), em São Paulo, e citou a aprovação dos estatutos do desarmamento e do idoso como exemplos de boas realizações do Poder Legislativo.Segundo ele, no retorno do recesso, provavelmente na terceira semana de agosto, a Câmara dos deputados deverá aprovar a nova legislação das agências reguladoras, a proposta de emenda constitucional do trabalho escravo, a construção da Universidade do ABC e a lei que cria o programa "Universidade para Todos".Ao mesmo tempo, João Paulo cobrou mais coerência nas cobranças feitas pela imprensa e pela sociedade. "Pelo fato de votarmos vários projetos numa semana, fomos criticados por votar tudo numa semana", afirmou, referindo-se ao esforço concentrado do Congresso antes do recesso parlamentar no meio do ano. "Se não tivéssemos votado, seríamos criticados por não votar", complementou.VotaçõesO mesmo vale, segundo ele, para as críticas sobre decisões do Congresso para alterar propostas de lei encaminhadas pelo Executivo. "Se não alteramos os projetos que vêm do Executivo, nós não temos independência e autonomia. Se alteramos, (a crítica) é porque alteramos. É importante reconhecer a partir do mérito, porque votamos muitas coisas boas", cobrou.Outra queixa do parlamentar se deve ao fato de a sociedade criticar os proventos recebidos pelos parlamentares quando há convocação extraordinária. "Este ano, houve convocação extraordinária no meio do ano? Não. Então por que criticar?", indagou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.