João Paulo diz que quórum é preocupação para votar mínimo

O presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), admitiu hoje que uma das maiores preocupações para votação do mínimo amanhã é o quórum. João Paulo reconheceu que esta é uma semana difícil, principalmente por causa dos festejos de São João no Nordeste. Segundo ele, a Câmara enviou telegramas e telefonou para os deputados, convocando-os para sessão desta terça-feira. Para que a Câmara aprove a proposta original do governo, de um salário de R$ 260, e derrube a proposta aprovada no Senado, de R$ 275, será necessário um quórum de, no mínimo, 260 deputados. "Se o projeto não for votado nesta terça na Câmara, a pauta vai ficar trancada", reiterou o presidente da Casa. Os nomes de 11 ministros de sete partidos políticos figuram na lista dos participantes do jantar de hoje à noite na residência oficial de João Paulo Cunha para debater com líderes aliados na Câmara a necessidade de aprovação da medida provisória que fixou em R$ 260,00 o valor do salário mínimo e, portanto, de derrota do valor de R$ 275,00 aprovado na semana passada pelo Senado. Estarão presentes os ministros da Fazenda, Antonio Palocci, e da Casa Civil, José Dirceu, ambos do PT; da Coordenação Política, Aldo Rebelo, e do Esporte, Agnelo Queiroz, do PCdoB; das Comunicações, Eunício Oliveira, e da Previdência Social, Amir Lando, ambos do PMDB; da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, do PSB; do Turismo, Walfrido Mares Guia, do PTB; da Integração Nacional, Ciro Gomes, do PPS; dos Transportes, Alfredo Nascimento, do PL, além do da Agricultura, Roberto Rodrigues.(Denise Madueño)João Paulo informou hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que fez todos os esforços possíveis para mobilizar a Câmara para votar o projeto do salário mínimo amanhã. "Agora, a tarefa de convencer os deputados a votarem a proposta do governo (mínimo de R$ 260) é dos líderes da base do governo e acredito que eles estão fazendo isso", disse. Ele esteve reunido por cerca de meia hora na tarde hoje com o presidente Lula, em um hotel da capital. Perguntado sobre a expectativa do presidente em relação a votação do mínimo, João Paulo destacou: "O presidente Lula está tranqüilo, assim como eu."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.