João Paulo diz que processo do mensalão o 'atormenta'

Em seu primeiro discurso após ser eleito para comandar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) fez questão de mencionar o tema do mensalão. Ele é réu no processo em andamento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o suposto esquema de pagamento de mesada a parlamentares no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

02 de março de 2011 | 12h08

"Vocês sabem que eu respondo a um processo no Supremo Tribunal Federal, não poderia deixar de mencionar isso", disse. "Esse processo, que me atormenta muito, mudou a minha vida. Mas eu tenho muita fé e convicção no direito e na justiça de que, em breve, nós resolveremos por completo (essa questão)."

O presidente do CCJ comparou o processo do mensalão a uma guerra. "Às vezes, as disputas políticas tomam formato de guerra, com instrumentos que não se tem como controlar, que atinge o coração, a vida, a alma dos seus próximos, sem ninguém calcular isso."

João Paulo afirmou que os colegas podem ficar com a "consciência tranquila" por terem escolhido ele para comandar a comissão mais importante da Casa, e concluiu dizendo que sua vida é "absolutamente limpa".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.