João Paulo diz que base aliada decidiu manter integralidade

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), afirmou, ao deixar sua residência, onde se reuniu por mais de seis horas com os líderes aliados, que o governo ainda não tem posição firmada sobre a alternativa de manter a integralidade da aposentadoria dos servidores públicos. "A diferença agora é que a base já decidiu pela mudança (da proposta original). Vamos aguardar a posição do governo", disse Cunha, que está indo para a Câmara, onde se reunirá com os líderes de todos os partidos para discutir a reforma. O líder do PSB na Câmara, Eduardo Campos (PE) afirmou que já há um encontro marcado com os líderes da oposição para a tarde desta quarta-feira, para discutir a proposta de conceder a integralidade da aposentadoria para os servidores. O presidente da Comissão Especial, Roberto Brant (PFL-MG), que também participou do encontro na residência do presidente da Câmara com os líderes aliados, disse que o objetivo do governo é antecipar as votações da reforma da Previdência. A reunião dos líderes, que durou quase seis horas, os parlamentares trataram da reforma com o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, com o ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Maurício Correa, e com o presidente da CUT, Luiz Marinho. O líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo, disse que a apresentação e leitura do relatório de reforma da Previdência deverá ser na próxima quarta-feira, na Comissão Especial. Segundo ele, o objetivo é votar o relatório em julho, na comissão, e no plenário, em agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.