João Paulo Cunha critica atuação do governo no Congresso

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), afirmou hoje que o governo deve mobilizar a sua maioria e votar. Desde segunda-feira, o governo vem tentando acordo na Comissão Mista de Orçamento para votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e com os deputados para votar a Medida Provisória que trata da Cofins no plenário da Câmara. "Quem tem maioria tem que colocar a maioria na Comissão e votar. Colocar a maioria no plenário e votar. Se você depende de acordo fica sempre trabalhando na condicional", disse João Paulo.O presidente da Câmara criticou ainda o fato de o governo não negociar com antecedência os projetos que pretende aprovar. "O governo que tem interesse em determinada matéria mas não trabalha antes e deixa para a última hora", completou João Paulo. Ele criticou mais uma vez a edição de medidas provisórias, ressaltando que elas estão atrapalhando o funcionamento parlamentar nessa última semana de trabalho, antes do recesso de julho. "No momento crucial de ação do legislativo tem cinco MPs trancando a pauta e quando alguém resolve obstruir a partir das medidas provisórias atrapalha todo o restante das matérias. É uma constatação. É evidente que as medidas provisórias estão atrapalhando o funcionamento parlamentar", disse João Paulo.Ele disse que a Câmara só não conseguiu produzir mais no primeiro semestre por causa das medidas provisórias editadas pelo governo. João Paulo afirmou que vai insistir na votação até amanhã dos projetos que foram considerados prioritários. Além das medidas provisórias, a Câmara planejou votar o projeto que trata de corporação imobiliária, o de inovação tecnológica e as agências reguladoras. Por volta do meio-dia, João Paulo estava na sala da liderança do governo negociando as votações do dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.