João Paulo culpa governo por atraso nas votações

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha, disse que as poucas votações na Câmara, neste segundo esforço concentrado do mês, são decorrentes de problemas políticos criados pelo governo, e não por falta de quórum."Existem alguns problemas políticos criados pelo governo nesta relação natural com a oposição, e que têm estimulado alguns partidos, principalmente o PSDB e o PFL a intensificar o processo de obstrução", afirmou. Para ele, a medida provisória que deu status de ministro ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o projeto que cria o Conselho Federal de Jornalismo, aumentaram a tensão na relação do governo com a oposição. "São ações que acabam esticando a corda entre a situação e a oposição e a gente vai perdendo um pouco a margem de diálogo e de manobra na Casa", afirmou João Paulo. De forma indireta, o presidente da Câmara acabou criticando o fato de o governo não discutir a medida provisória de Meirelles, em comissão especial, como reclama a oposição. "Sem entrar no mérito, são matérias que estão na Casa e um dia serão apreciadas. Elas são concretas e uma hora serão votadas. O que eu sinto é que essas medidas acabam tensionando o parlamento" disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.