Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

João Carlos Martins testa luva especial e tem ajuda de robô para tocar piano

Maestro participou do evento Summit Brasil - O que é poder?, parceria do 'Estado' com 'The New York Times'

Leandro Nunes, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2019 | 10h39

"O contrário da vida não é a morte, é a repetição". Após anunciar aposentadoria no início do ano, o maestro João Carlos Martins demonstra que a carreira não termina assim. Nesta quarta-feira, 30, ele participou do evento Estadão Summit Brasil - O que é poder?  e falou sobre superação.

Um acidente que provocou a atrofia em três dedos das mãos e uma pancada durante um assalto não comprometeram o desejo do músico em continuar seu ofício. "Minha história com a música começou quando meu pai nasceu e tinha um sonho: tocar piano." Ao completar 10 anos, seu pai teve o objetivo interrompido, conta. "Ele também sofreu um acidente. Teve uma das mãos decepada."

Acompanhado de violinos, o músico tocou um trecho de Bach, emocionado, e contou uma novidade. "Eu já tenho a ajuda de um robô para virar as páginas da partitura. Agora estou experimentando algo novo."

Com o auxilio de um protótipo de uma luva, o maestro apresentou um trecho da trilha sonora do filme A Lista de Schindler, de Steven Spielberg. "Estamos sempre melhorando e espero poder tocar em um ano", contou ao Estado. "A luva mantém minha mão firme e consigo executar as notas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.