Wilton Junior / Estadão
Wilton Junior / Estadão

João Amoêdo aceita convite para ser pré-candidato a presidente da República pelo partido Novo

Na disputa de 2018, Amoêdo teve 2,5% dos votos válidos; convite foi feito por 36 dos 40 integrantes da Convenção Nacional da sigla

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 22h06

O empresário João Amoêdo aceitou o convite do partido Novo para disputar o Palácio do Planalto pela sigla em 2022. Na eleição presidencial de 2018, Amoêdo ficou na quinta colocação, com 2,5% dos votos válidos no primeiro turno, à frente de nomes como Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e Alvaro Dias (Podemos).

Em nota divulgada na noite desta terça-feira, 1º, o Novo informou que Amoêdo, um de seus fundadores, aceitou o convite feito por 36 dos 40 integrantes da Convenção Nacional para ser pré-candidato à presidência da República nas eleições de 2022. O convite, segundo a legenda, foi realizado em linha com a resolução 41/2021 do partido, que prevê as regras para as candidaturas.

"O Novo entende que uma candidatura à presidência da República em 2022 tem como missão oferecer à população brasileira uma alternativa propositiva, baseada nos princípios e valores do Novo e disposta a se contrapor aos movimentos populistas que comandaram o país nas últimas décadas com resultados desastrosos. Amoêdo, engenheiro e administrador, é um dos fundadores do Novo e presidiu o partido por duas vezes. Em 2018, foi candidato a presidente da República", disse a nota do partido.

“Será uma caminhada extremamente desafiadora, mas aceito essa tarefa confiando que trabalharemos como um time, com resiliência, alinhamento, humildade e coerência, dentro dos princípios, valores e propósitos que justificaram a fundação do Novo”, respondeu João Amoêdo ao aceitar o convite.

Antes do anúncio, Amoêdo integrou o movimento que tentou formar uma frente de centro contra os extremos na disputa presidencial de 2022. O empresário foi um dos seis “presidenciáveis” signatários de uma carta em defesa da democracia, da Constituição de 1988 e contra o autoritarismo.

Além de Amoêdo ,  fazem parte do grupo o governador João Doria  (PSDB), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), o apresentador Luciano Huck, o ex-ministro Sérgio Moro (sem partido) e o ex-governador Ciro Gomes (PDT).

Tudo o que sabemos sobre:
João Amoêdo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.