'Jesus perdoaria Judas, fazer acordo jamais', diz Cristóvam

Senador criticou comparação que presidente Lula fez em relação às alianças políticas do seu governo

estadao.com.br,

22 Outubro 2009 | 12h18

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) teceu críticas em seu perfil no Twitter às declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista publicada nesta quinta-feira ao jornal 'Folha de S.Paulo'. De acordo com o parlamentar, "o presidente disse que no Brasil, Jesus faria acordo com Judas. Jesus poderia perdoar Judas, fazer acordo jamais".

 

"Quando os políticos dizem que na política Jesus faz acordo com Judas, eles acham que os eleitores são todos Pilatos", ironizou o senador. Ele também ressaltou que "quando o presidente da República diz que na política Jesus faz acordo com Judas, ele esta dizendo para os jovens idealistas se afastarem da política".

 

Na entrevista, Lula também comentou sobre o apoio que deu ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). "A manutenção do Sarney era questão de segurança institucional. O Senado está calmo", disse. "A queda do Sarney era o único espaço de poder que a oposição tinha. Aí, ao invés de governabilidade, iam querer fazer um inferno neste país. Foi correta a decisão de manter o Sarney no Senado."

Questionado sobre o papel da imprensa no Brasil, Lula foi enfático: "Não acho que o papel da imprensa é fiscalizar. O papel é informar. A imprensa tem de ser o grande órgão informador da opinião pública. Essa informação pode ser de elogios ao governo, de denúncias sobre o governo, de outros assuntos. A única que peço a Deus é que a imprensa informe da maneira mais isenta possível, e as posições políticas sejam colocadas nos editoriais".

Mais conteúdo sobre:
Twitter Lula Jesus Judas Cristóvam Buarque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.