'Jeito tucano para chegar ao 2º turno foi se agarrar na barra da saia da Marina', afirma dirigente do DEM

Para deputado Onyx Lorenzoni, o DEM 'vai continuar defendendo o que as urnas decidiram'

Rodrigo Alvares, Estadão.com.br

16 de novembro de 2010 | 18h14

Depois de reunião da Comissão Executiva Nacional do Democratas na tarde desta terça-feira, 16, na qual foi descartada por unanimidade a fusão com o PMDB, o presidente interino da sigla, o deputado federal Onyx Lorenzoni, afirmou que "os partidos do Brasil têm de ter compostura, o que o PT está fazendo?". O parlamentar também criticou a postura do PSDB durante a eleição presidencial: "O jeito tucano para chegar ao segundo turno foi se agarrar na barra da saia da Marina Silva (PV)". Para Onyx, "fazer oposição é tão nobre quanto fazer parte do governo". Ele argumentou que o DEM "vai continuar defendendo o que as urnas decidiram".

 

Em relação à proposta de incorporação do DEM ao PMDB, atribuída ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM) e sua eventual saída do partido, Onyx disse que o prefeito de São Paulo pode ter "uma circunstância especial que se serve para o cenário regional, faz um desserviço em nível nacional. Isso não se encaixa hoje no que representa o DEM".

 

Questionado se Kassab teria sido enquadrado pela direção do DEM, o deputado salientou que ele "é motivo de orgulho do partido". "O Kassab quer o que todos nós queremos", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
DEMPSDBPMDBPTGilberto Kassabfusão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.