Jefferson Peres deixa realçadas as contradições

O senador Jefferson Peres (PDT-AM) conseguiu fortalecer, durante acareação do Conselho de Ética do Senado, algumas das contradições dos depoimentos prestados ao conselho pelos senadores Antonio Carlos Magalhães e José Roberto Arruda e a ex-diretora do Prodasen Regina Borges. O senador Arruda voltou a afirmar que fez sua consulta a Regina Borges em nome do senador ACM. "Disso eu não tenho a menor dúvida" , disse Arruda. ACM, por sua vez, questionou a posição de Arruda e insistiu que não teria autorizado o senador nem qualquer outra pessoa a tratar de qualquer assunto que fosse em seu nome. Em resposta, Arruda disse apenas que não usa o nome de ninguém em vão e que os fatos expostos até agora falam melhor sobre a questão. A ex-diretora da Prodasen também foi categórica, ao responder a Peres que, na conversa que teve com Arruda na véspera da sessão em que foi cassado o mandato do ex-senador Luiz Estevão, Arruda teria pedido claramente a emissão de uma relação dos votos dos senadores naquela sessão. Regina também reforçou novamente que disse a Arruda que sairia dali para "cumprir uma ordem". "Quanto a isso, eu não arredo", reforçou Regina. Arruda, por sua vez, insistiu que em sua consulta não falou em nenhum momento sobre uma possível lista com os votos dos senadores. "Não pedi, não dei ordem, não se falou em lista nem em relação de votantes", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.