Jeferson Peres defende divulgação da lista de votos

O senador Jefferson Peres (PDT-AM) defendeu, hoje, a divulgação da lista com os votos dados pelos senadores na sessão de 28 de junho do ano passado, na qual foi cassado o mandato do ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF). "Achei péssima a violação do painel, mas, já que violaram e começaram a levantar suspeitas e acusações, creio que a lista deveria ser divulgada", sustentou Peres. Segundo ele, os envolvidos na violação do painel de votação eletrônica - o senador Antonio Carlos Magalhães, do PFL baiano, e o ex-senador José Roberto Arruda, sem partido, do DF - "devem recorrer à memória e reconstituir essa lista para apresentá-la". Isso porque, segundo Peres, essa lista "já se tornou do interesse do Senado". O senador amazonense, por outro lado, discorda da tese de que deveria ser aberta, no Conselho de Ética, uma discussão sobre a possibilidade de o líder do bloco de oposição no Senado, José Eduardo Dutra (PT-SE), também ser punido, se confirmada a afirmação de ACM de que também ele teria tomado conhecimento da lista. "Não me parece ser caso de Conselho de Ética", opinou Peres. Essa discussão foi motivada pela informação segundo a qual o senador Geraldo Althoff (PFL-SC) teria pedido um estudo à asessoria jurídica do Senado sobre a possibilidade de Dutra, se teve conhecimento da lista, também vir a ser ouvido e julgado pelo Conselho de Ética. Por seu turno, o senador Siqueira Campos (PFL-TO) disse que não vai contribuir para essa discussão, mesmo depois que ACM falou que ele teria votado a favor de Luiz Estevão. Siqueira Campos argumentou que a cassação de Luiz Estevão ocorreu em votação secreta e que não vai revelar o seu voto, embora não haja nenhum problema partidário por ter votado a favor ou contra Luiz Estevão. "Mas eu não vou favorecer uma fraude", alegou. Campos tampouco concorda que José Eduardo Dutra venha a ser investigado pelo Conselho de Ética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.