Jardim Ângela tenta entender por que o vento mudou

Kassab virou jogo em reduto do PT

Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

28 de outubro de 2008 | 00h00

O vento que rasga a Avenida M?Boi Mirim, Jardim Ângela, zona sul, chacoalhava as bandeirinhas já sem valor da candidata derrotada Marta Suplicy (PT). Os petistas, que sempre dominaram a região, não as retiram ainda inconformados com a vitória de Gilberto Kassab (DEM). Comemorava, discretamente, o comerciante Jaílton Evangelista Santos, de 54 anos. "O kassabista", na visão dos vizinhos."Ele ganhou meu voto pela sinceridade. E pela limpeza que fez na cidade. Aqui, todos os equipamentos que eu vejo funcionam. É por isso", argumentou sem alarde, para não chamar a atenção dos ainda amargurados.Foi com a ajuda de Jaílton e de outros 20 mil eleitores que Kassab virou o jogo na zona eleitoral da Capela do Socorro, antigo reduto da adversária. Fato que a série histórica mostrava tão improvável.Em 2000, Marta bateu o então candidato Paulo Maluf (PP) por ampla vantagem. Quatro anos depois, mesmo sem vencer a disputa, permaneceu à frente de José Serra (PSDB).No primeiro turno deste ano, Marta superou Kassab por 10 pontos porcentuais. No segundo, perdeu de virada - 51% a 49% - e os eleitores não sabem dizer exatamente o porquê.Segundo os que votaram em Marta, o problema foi a adesão dos evangélicos à candidatura de Kassab. Outros que votaram no atual prefeito põem a culpa nas taxas impostas por Marta, "que complicaram a vida".O que todos concordam é que as ações da prefeitura na região tiveram impacto no voto. De abril a agosto deste ano, Kassab inaugurou o Hospital do M?Boi Mirim, duas unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMAs), dois Centros Educacionais Unificados (CEUs), dois telecentros e um parque.Participou ainda, ao lado de Serra, da inauguração de duas novas estações de trem e do lançamento do Programa de Recuperação de Mananciais, com R$ 1 bilhão para urbanização de favelas. As obras começaram no fim de junho."Foi puro uso da máquina", avaliou o professor Francisco dos Santos, 43 anos, eleitor de Marta."Ele foi é corajoso", explicou Kléber Barbosa, 25 anos, que votou em Kassab. "Além de tudo isso, peitou os caras dos outdoors."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.