Jantar com Lula desfavorece negociações, diz Tasso

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) não quis comentar um eventual convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para um jantar, como foi feito ontem com senadores do PFL. Brincando, respondeu que sua mãe havia lhe ensinado a não comentar convites que não recebeu. Embora as negociações da oposição com o governo tenham evoluído nos três principais projetos que estão na pauta do Senado, Tasso acredita que a realização do jantar ontem criou um clima desfavorável às negociações. Ele também não quis comentar se o gesto do presidente foi uma tentativa de cooptação. "Eu não sei o que aconteceu lá, mas não creio que tenha havido cooptação porque os senadores que participaram do jantar são muito experientes", disse.Tasso avaliou que "só agora está sendo aberta pelo governo uma agenda de discussão do projeto que institui as Parcerias Público-Privadas (PPP)". Depois de participar de reunião com o governo sobre o assunto, Tasso afirmou que, até o momento, o governo não assumiu com ele nenhum compromisso de mudanças no texto. "Até agora, não tenho informação sobre mudanças, a não ser algumas que o ministro (Guido Mantega, do Planejamento) comentou informalmente, mas que não estão no papel", disse . O ministro Mantega, que participou da reunião de hoje, comemorou o acordo para os procedimentos de negociação, que incluem a realização de audiências públicas e votação do projeto no próximo esforço concentrado do Congresso, previsto para depois do primeiro turno das eleições municipais. "Vamos negociar e esclarecer os pontos que ainda estão obscuros", afirmou Mantega, após o encontro, também informando que não foi discutida nenhuma mudança no texto durante a reunião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.