Janot recomenda prisão imediata do ex-deputado Bispo Rodrigues

Parecer do procurador-geral da República abre caminho para prisões imediatas de outros condenados; ex-parlamentar pediu para ter novo julgamento mas não teve 4 votos favoráveis

FELIPE RECONDO, Agência Estado

02 Dezembro 2013 | 15h25

Brasília - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, recomendou nesta segunda-feira, 2, a prisão imediata do ex-deputado Bispo Rodrigues, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão a 6 anos e 3 meses por corrupção e lavagem de dinheiro. Janot enviou parecer ao STF contrário ao recurso da defesa do ex-deputado.

Na semana passada, o procurador-geral havia pedido a prisão imediata do ex-deputado Pedro Corrêa e do ex-vice-presidente do Banco Rural Vinicius Samarane. Janot deve ainda encaminhar parecer no mesmo sentido para os casos dos deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT) e do advogado Rogério Tolentino. Depois de recebido o parecer, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, decidirá se determina a execução imediata da pena.

Bispo Rodrigues pediu para ter seu caso julgado novamente, mesmo sem o mínimo de votos estipulado pelo regimento do STF. Ele foi condenado de forma unânime pelo crime de corrupção passiva. Apenas três ministros votaram de forma divergente no caso de lavagem de dinheiro.

"As condenações impostas ao réu não podem mais ser modificadas, na medida em que foi ele condenado de forma unânime quanto ao delito de corrupção passiva e, no que pertine à lavagem de dinheiro, com apenas três votos de divergência", afirmou o procurador.

Mais conteúdo sobre:
Mensalão Janot Bispo Rodrigues

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.