Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Janot quer arquivar inquérito que apura agressão de Pedro Paulo a ex-mulher

Afilhado político de Eduardo Paes, peemedebista vai concorrer à Prefeitura do Rio de Janeiro; registro de agressão foi feito em 2010

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2016 | 21h41

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu na tarde desta segunda-feira (15) o arquivamento da investigação contra o deputado federal Pedro Paulo (PMDB-RJ), que vai concorrer à Prefeitura do Rio na próxima eleição. Afilhado político de Eduardo Paes (PMDB), Pedro Paulo é alvo de inquérito para apurar uma suposta agressão corporal contra sua ex-mulher, Alexandra Marcondes.

O registro da agressão, feito junto à Polícia Civil em 2010, aponta que Pedro Paulo deu socos no rosto e corpo da ex-mulher, Alexandra Marcondes. No documento, ela disse que o ex-marido "a jogou na parede e depois no chão, agarrando-a pelo pescoço e sacudindo-a". Alexandra, no entanto, mudou a sua versão dos fatos.

"Ouvida no intuito de justificar as sucessivas alterações na sua versão sobre os fatos, a sra. Alexandra Marcondes foi peremptória ao negar ter sido agredida por seu então marido. Na ocasião, atribui as próprias lesões a movimentos de defesa de Pedro Paulo, para repelir investidas da depoente contra ele", destaca o procurador-geral.

De acordo com Janot, é preciso que "a conduta do autor seja praticada com vontade consciente de atentar contra a higidez física da vítima". "É imprescindível não só a constatação de lesões no ofendido, como também que estas tenham sido provocadas pelo autor de forma dolosa. Não foi o que as provas dos autos revelaram no curso da instrução, mesmo após a realização de todas as diligências possíveis para a elucidação dos fatos aqui investigados", conclui Janot.

No mês passado, Pedro Paulo teve seu nome confirmado como candidato do PMDB a prefeito do Rio de Janeiro. As investigações em torno da agressão corporal da ex-mulher, no entanto, provocaram um dano à sua imagem, com a mobilização de internautas contra a sua candidatura nas redes sociais.

O pedido de Janot ainda será analisado pelo ministro Luiz Fux, relator do inquérito aberto contra Pedro Paulo no Supremo Tribunal Federal (STF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.