Valéria Gonçalvez/Estadão
Valéria Gonçalvez/Estadão

Janot pede explicações sobre demora em atender pedido da Suíça no caso Alstom

Procuradoria da República em SP admitiu 'falha administrativa' no arquivamento do pedido de interrogatório do ex-diretor da CPTM, João Roberto Zaniboni, que recebeu R$ 836 mil em Zurique

Mariângela Galucci , Agência Estado

29 Outubro 2013 | 19h25

Mariângela Galucci/BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cobrou nesta terça-feira, 29, explicações sobre a demora do Ministério Público Federal para atender a um pedido de diligências feito por autoridades da Suíça que investigam o caso Alstom.

Além dos suíços, integrantes do MPF apuram suspeitas de fraude em licitação para obras de expansão do metrô de São Paulo e pagamento de propina pela empresa francesa Alstom.De acordo com informações divulgadas pela Procuradoria, Janot enviou um ofício à Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do Ministério Público Federal para determinar o esclarecimento sobre a suposta demora no cumprimento de pedido de colaboração.

Em nota, a Procuradoria da República em São Paulo admitiu que o pedido de diligências suplementares feito pela Suíça em 2011 deixou de ser atendido devido a uma "falha administrativa". "Foi arquivado erroneamente em uma pasta de documentos auxiliares, quando deveria ser juntado ao processo de cooperação internacional principal", argumentou.

O pedido solicitava o interrogatório do engenheiro João Roberto Zaniboni, ex-diretor de operações e manutenção da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) que chegou a receber US$ 836 mil em uma conta em Zurique.COLABOROU MATEUS COUTINHO

Mais conteúdo sobre:
PGRCASO ALSTOM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.