André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Janot pede a Fachin novo depoimento de Marcelo Odebrecht e outros 2 delatores

O inquérito investiga os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR), além do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carreiro

Rafael Moraes Moura, Beatriz Bulla, Breno Pires, O Estado de S.Paulo

29 Março 2017 | 20h05

BRASÍLIA – Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu que três delatores da Odebrecht, entre eles o herdeiro da empreiteira, Marcelo Odebrecht, prestem novos depoimentos, para que esclareçam a atuação da empresa no âmbito de um inquérito sobre irregularidades nas obras da usina de Angra 3. O pedido foi feito ao ministro Edson Fachin, relator no STF dos processos da Operação Lava Jato.

O inquérito investiga os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR), além do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carreiro.

A investigação tem como fundamento a delação do empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia, que teria relatado pagamentos mensais ao advogado Tiago Cedraz em troca de influência e informações sobre o TCU.

Pessoa disse ainda ter negociado pagamento de R$ 1 milhão com o advogado para liberação, pelo tribunal de contas, das obras da usina de Angra 3 – que teve a UTC entre as empreiteiras que formavam consórcio contratado para execução do projeto.

O procurador-geral da República também se posicionou favorável à prorrogação das investigações por trinta dias.

“O procurador-geral da República manifesta-se favoravelmente à concessão do prazo, entretanto, as investigações já se alongam em demasia, sendo necessário ultimar a coleta de provas nesses autos”, escreveu Janot, em despacho assinado na última segunda-feira, 27. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.