ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO
ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO

Janot participa de audiência pública na CCJ do Senado sobre abuso de autoridade

Procurador-geral da República apresentou, na semana passada, proposta alternativa ao PL do Senado para a punição de crimes de autoridade

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2017 | 09h53

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, participa nesta segunda-feira, 3, de audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado sobre o projeto que atualiza a lei do abuso de autoridade. A sessão está prevista para começar às 14h. Também foram convidados o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, e o jurista e ex-ministro da Corte Ayres Britto.

Na última terça-feira, 28, Janot levou pessoalmente ao Congresso uma proposta alternativa de punição dos crimes de autoridade. O relator do projeto no Senado, Roberto Requião (PMDB-PR), leu o seu parecer na CCJ no dia seguinte, mas ignorou as sugestões do procurador-geral.

A principal divergência entre as propostas é em relação à "tipificação da hermenêutica". Segundo o texto de Janot, um agente público não poderá ser punido por divergências de interpretação de uma lei se apresentar motivos para isso, diferentemente do que propõe Requião. Para o senador, Janot "admite excessos" dos agentes públicos em seu texto.

Além de Janot, representantes de diversas entidades do Judiciário foram chamados para a sessão de hoje. Entre os convidados, estão o presidente da Associação nacional dos defensores Públicos (ANADEP), Antônio José Maffezoli Leite; o presidente da Associação dos Magistrados do Brasil, Jaime Martins Oliveira Neto; o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, e o diretor de assuntos legislativos da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Luiz AntônioColussi.

Outra audiência para debater o abuso de autoridade antes da votação do relatório está prevista para esta terça-feira, a partir das 10 horas. Amanhã, o principal participante convidado é o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, junto com o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daielo.

Também devem participar do debate o presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Ângelo Fabiano Farias da Costa; o presidente do Instituto de Defesa do Direito de Defesa, Fábio Tofic Simantob; a presidente da Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas dos Estados (ANTC), Lucieni Pereira da Silva; a presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Norma Cavalcanti; o promotor de Justiça em São Paulo, Roberto Livianu; e o juiz federal Silvio Luis Ferreira da Rocha.

Nesta quarta-feira, 5, terá terminado o período de vista (mais tempo para apreciação) de uma semana do projeto, que tecnicamente estará pronto para ser votado na CCJ.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.